Relatório de Transparência Salarial: obrigações e impactos para empresas e empregados

Compartilhe
escrito por
Eliete Rosário

Nos últimos anos, a presença feminina no mercado de trabalho tem crescido de forma expressiva em diversos setores, enfrentando desafios com determinação, comprometimento e responsabilidade. 

Com esse crescimento significativo, algumas pautas foram levantadas, entre elas a desigualdade salarial entre homens e mulheres. Vale ressaltar que a igualdade salarial é um direito garantido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e pela Constituição Federal (CF), porém mesmo esse direito sendo fundamental, os salários, se comparados, ainda apresentam grande discrepância. 

É importante destacar que a diferença salarial não é o único ponto preocupante – existem várias outras questões que merecem atenção, como: a relação de igualdade dos direitos entre homens e mulheres, a raça, a etnia, o sexo e a idade. No entanto, a equiparação salarial se torna um ponto crucial de discussão e ação.

Diante de todo o cenário, a implementação de políticas públicas para adequar a legislação existente, promovendo mudança de cultura e conscientização da sociedade, levaram a atualização regulatória, fomentando ações e planos voltados para corrigir e mudar essa realidade. 

Neste artigo, exploraremos as obrigações e impactos do Relatório de Transparência Salarial, confira quais são as obrigações e impactos para empresas e empregados.

Entenda o que é o Relatório de Transparência Salarial e como surgiu

O Relatório de Transparência Salarial desempenha um papel crucial ao reunir dados salariais dos colaboradores, permitindo a análise de possíveis disparidades entre os salários de homens e mulheres que exercem as mesmas funções.

Em 2023, um grupo de trabalho conduzido pelo Ministério das Mulheres e pelo Ministério do Trabalho e Emprego uniu esforços para implementar ações e programas com o objetivo de reduzir o impacto evidenciado por dados estatísticos consideráveis: em média, as mulheres ainda recebem 22% a menos que os homens em cargos equivalentes, com essa disparidade sendo mais acentuada em posições de liderança e gerência.

Dessa forma, a Lei 14.611 / 2023, regulamentada pelo Decreto 11.795/2023 e pela Portaria 3.714 / 2023, foi publicada para adequar o que estava previsto tanto na CF/1988 como na CLT. 

Esta legislação visa a implementação do Relatório de Transparência Salarial e dos Critérios de Remuneração entre gêneros, juntamente com a criação de um plano de ação para mitigar eventuais disparidades identificadas. 

A compreensão dessas diretrizes torna-se essencial para contadores que lidam com questões salariais e de equidade de gênero, garantindo conformidade e contribuindo para um ambiente de trabalho mais justo e igualitário.

O que impacta para as empresas?

Para empresas, sua divulgação semestral, realizada pelo Ministério do Trabalho por meio do Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho (PDET) nos meses de março e setembro, torna-se obrigatória. 

Empregadores pessoas jurídicas de direito privado com 100 ou mais colaboradores devem disponibilizar esses relatórios em plataformas digitais de fácil acesso, como redes sociais, websites e outros canais acessíveis ao público. O não cumprimento dessa exigência acarreta uma multa de 3% sobre a folha de pagamento, com um limite de 100 salários mínimos.

É importante salientar que nos meses de fevereiro e agosto, as empresas informem suas políticas e iniciativas de promoção do trabalho da mulher no Portal Emprega Brasil. Essas informações complementam os dados fornecidos por meio do eSocial, necessários para o preenchimento do relatório pelo Ministério do Trabalho.  

O programa de Igualdade Salarial traz muitos benefícios aos empregadores em relação à transparência sustentável e à conformidade social por meio das garantias abaixo:

Confira quais são as propostas de garantias da igualdade salarial

  • I – Estabelecimento de mecanismos de transparência salarial e de critérios remuneratórios;
  • II – Incremento da fiscalização contra a discriminação salarial e de critérios remuneratórios entre mulheres e homens;
  • III – Disponibilização de canais específicos para denúncias de discriminação salarial;
  • IV – Promoção e implementação de programas de diversidade e inclusão no ambiente de trabalho que abranjam a capacitação de gestores, de lideranças e de empregados a respeito do tema da equidade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, com aferição de resultados; e
  • V – Fomento à capacitação e à formação de mulheres para o ingresso, a permanência e a ascensão no mercado de trabalho em igualdade de condições com os homens.

Aproveite e confira também a nossa Keevo Live que também aborda o tema:

Conteúdo do Relatório de Transparência Salarial e Critérios Remuneratórios entre Mulheres e Homens

O  Relatório de Transparência Salarial é composto por duas partes, sendo elas:

  • Dados extraídos do eSocial: a partir das informações em relação aos dados cadastrais do empregador, quantidade total de empregados, razão da quantidade de empregados separados por sexo, raça, etnia, salário e remunerações pelo Governo; e 
  • Informações complementares no Portal Emprega Brasil: esses dados devem ser declarados pelo empregador em relação às ações e políticas praticadas de promoção e estímulo ao trabalho da mulher que podem justificar caso encontre alguma diferença.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD – 13.709/2018) deve ser observada, uma vez que as informações são anônimas, baseando-se nos grandes grupos de Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) e na média salarial dos últimos 12 meses admissionais e mediana para valores remuneratórios.

Conforme os dados levantados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o salário médio real de admissão por sexo, acumulado dos últimos 12 meses apresentados em dezembro/2023 representa uma diferença salarial de R$225,77. 

Plano de ação para mitigação da desigualdade salarial e de critérios remuneratórios entre mulheres e homens

Analisadas as informações consolidadas dos empregadores, caso identifique alta discrepância entre equiparação salarial de mulheres e homens, os órgãos fiscalizadores irão notificar por meio do portal Domicílio Eletrônico Trabalhista (DET).

O Relatório de Transparência Salarial irá considerar os valores médios e medianos em relação às diferenças apontadas nos dados analisados. O prazo para os notificados apresentarem um plano de mitigação dessas diferenças e sanar as divergências será de 90 dias.

As empresas devem estabelecer:

I – As medidas a serem adotadas, as metas e os prazos; e

II – A criação de programas relacionados à:

  1. a) capacitação de gestores, lideranças e empregados a respeito do tema da equidade entre mulheres e homens no mercado de trabalho;
  2. b) promoção da diversidade e inclusão no ambiente de trabalho; e
  3. c) capacitação e formação de mulheres para o ingresso, a permanência e a ascensão no mercado de trabalho em igualdade de condições com os homens.

Desenvolvendo uma cultura de valorização e igualdade no Mercado de Trabalho

A divulgação do Relatório de Transparência Salarial tem gerado debates entre os empregadores, que expressam preocupações quanto à quebra de sigilo de acordo com a LGPD em relação aos salários e cargos dos colaboradores. 

Contudo, é importante ressaltar que o Ministério do Trabalho conduz a anonimização dos dados, garantindo a privacidade necessária.

Esta iniciativa visa não apenas impor sanções, mas principalmente conscientizar empregadores, funcionários e a sociedade em geral sobre a importância de cultivar uma cultura de valorização feminina no mercado de trabalho. 

Ao respeitar e seguir as regulamentações, promovendo a igualdade de direitos, contribuímos para o fortalecimento da cidadania e o desenvolvimento de negócios sustentáveis com um valor social agregado.

Gostou do conteúdo? Então, acompanhe o nosso blog e as nossas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades do mundo contábil e não perder nenhuma atualização!

Aproveite para conferir também: Atualizações do eSocial para 2024 e substituição da DIRF: tudo o que você precisa saber.

Infográfico

Principais informações e novidades sobre o IRPF 2024

Fique  por dentro das atualizações do Imposto de Renda da Pessoa Física – IRPF 2024!

Baixe o infográfico e conheça os prazos, quem deve declarar, regras de restituição, penalidades por atraso e novidades!

Para os contadores, o Imposto de Renda representa tanto oportunidades quanto desafios.
Neste artigo, vamos entender o que é DCTFWeb, quais são suas características, quem deve enviá-la e os prazos envolvidos.
Pequenos e médios contadores enfrentam o desafio de se diferenciar da concorrência e atrair novos clientes para seu escritório contábil, visando o crescimento do seu negócio.
As Normas Regulamentadoras (NRs) são regras e diretrizes que visam regulamentar e orientar as empresas e seus colaboradores sobre a segurança e a saúde do trabalho.
Neste artigo vamos discutir as implicações da Inteligência Artificial (IA) na contabilidade, destacando a relevância da hiperautomação para os contadores em relação à IA.
keevo-roxo

Fique por dentro

Não perca! Nosso próximo Evento !

Lorem ipsum dolor sit